Sexta-feira
25 de Maio de 2018 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Previsão do tempo

Hoje - Cuiabá, MT

Máx
33ºC
Min
18ºC
Predomínio de

Hoje - Campo Grande, MS

Máx
28ºC
Min
16ºC
Predomínio de

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,64 3,64
EURO 4,27 4,27
LIBRA ES ... 4,88 4,88

Justiça determina internação de adolescentes por prática de homicídio e organização criminosa

O Juízo da Vara da Infância e Juventude da Comarca de Cruzeiro do Sul determinou a internação por tempo indeterminado de seis adolescentes, por eles terem cometido ato infracional análogo ao crime de homicídio qualificado e organização criminosa, quando emboscaram e executaram uma adolescente por motivo torpe (a vítima, supostamente, teria passado informações entre facções criminosas).A juíza de Direito Adimaura Souza verificou que o crime foi cometido com requintes de crueldade e ainda filmado pelos adolescentes, por isso, aplicou a medida socioeducativa por tempo indeterminado “com reavaliação semestral, mediante apresentação de relatório a ser elaborado pelo corpo técnico da Casa de Medidas, tudo em conformidade com o artigo 121 e seguintes do ECA”.Entenda o casoOs seis adolescentes junto com uma adulta emboscaram e mataram esfaqueada uma adolescente, que teria passado informações entre facções criminosas. O ato aconteceu no início de dezembro do ano passado e os jovens ainda filmaram a execução. Por isso, o Ministério Público do Estado do Acre apresentou representação contra os adolescentes.SentençaA juíza de Direito Adimaura Souza, titular da unidade judiciária, escreveu estar comprovado o envolvimento dos adolescentes com organização criminosa. “(…) todos os menores representados fazem parte da referida organização, vez que a motivação do crime foi exatamente a rivalidade entre as facções, inexistindo qualquer dúvida acerca da autoria e materialidade infracional”, registrou a magistrada.A juíza aplicou a medida socioeducativa de internação por tempo indeterminado para os adolescentes envolvidos no ato infracional, considerando a gravidade do caso. “Foram praticadas duas infrações extremamente graves, sendo que o primeiro ato infracional em questão, como se constata, foi cometido com requinte de crueldade, com violência repugnante à pessoa, por motivo torpe, pois os adolescentes queriam disciplinar a vítima por repassar informações do Comando Vermelho para o Bonde dos 13 (…)”, asseverou a magistrada.
09/02/2018 (00:00)
Visitas no site:  933802
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.